"Você se cansa de amores incompletos, de amores platônicos, de falta de amor, de excesso disso e daquilo. Se cansa do “apesar de”. Se cansa do rabo entre as pernas, da sensação de estar sendo prejudicado, se cansa do “a vida é assim mesmo”. Você se cansa de esperar, de rezar, de aguardar, de ter esperanças, cansa do frio na barriga, cansa da falta de sono.Você se cansa da hipocrisia, da falsidade, da ameaça constante, se cansa da estupidez, da apatia, da angústia, da insatisfação, da injustiça, do frenezi, da busca impossível e infinita de algo que não sabe o que é. Se cansa da sensação de não poder parar."

PC Siqueira.    (via se-eu-pudesse)

(Source: beocio, via se-eu-pudesse)

"Encontro-me despida de alma em uma de minhas tentativas falíveis de despejar palavras, quero-as em sua harmonia mais simétrica para alfinetar tua parte mais desconhecida ou apanhar tua surpresa de um modo que só eu sei, eu quero te encantar com minhas palavras doces e sublimes, mas torno-me tola ao encarar a mais cruel das verdades: minhas palavras mal te dizem o que gostaria. A voz cala, os dedos param, meus poemas não saem mais, ficaram impregnados em teus beijos, meus braços já não alcançam mais a infinitude do céu, mas conseguem mapear todo teu corpo. Eu não sei dizer amor, porque amor não é só amor, amor não é só essas metáforas ou comparações, como a que faço agora, amor é. Só é. Não precisa de definições cabíveis ou de blá, tudo que dizem nos bares e calçadas por onde se passa.
E eu mudo de assunto, eu mudo de assunto todas as constantes vezes que pisco os olhos, e meus adjetivos me cansam. Mas eu não estou aqui para isso, eu estou aqui pra falar de você, ou essa era a intenção desde o início, e eu não necessito de todas essas regras ou aforismos que deveriam ser essenciais. Eu não preciso escrever para ti porque meus olhos te repetem tudo isso diariamente, mas eu quero encaixar cada palavra em sua mente. Mas como discorrer meus sentimentos que nem eu os sei o que são? Eu saio falando de você pelos quatro cantos, mesmo ninguém precisando ouvir, eu falo de você quando eu falo de mim. Porque eu já não sou mais eu, eu sou você, você furtou minha alma em sua busca do meu interior. E a única coisa que eu sou capaz de querer, é toda essa imensidão vasta que enxergam tão pouco de você. Posso desvendar todos os enigmas matemáticos que me trouxer, mas não sei se posso descobrir cada pedacinho do labirinto que você é, mas me sinto obrigada disso, porque eu simplesmente quero. Eu quero poder olhar teus dedos longos e cálidos e tuas mãos tão rasas como algodão, eu quero enxergar teu céu da boca e invejar os anjos que cantam em sua mente, eu quero viver o infinito tempo que nos resta antes que a vida nos engula por inteiro. Mas eu quero mesmo, sem medida ou sem unidade. Eu quero esses amores de Paris que inventam por aí, mas quero que o nosso seja o que verdadeiramente é. Eu quero ver o horizonte de suas pálpebras cansadas e ver além de seus olhos torvos que me parecem mais claros do que é realmente. Eu quero ver além do que meu corpo toca e conhecer teu interior tão escondido até de si mesmo. Eu quero que você entenda o quão seus defeitos parecem desprezíveis diante a suas qualidades, e sim, entendo o quanto isso soa clichê, mas eu não suporto o quanto você se acha pequeno, mesmo você sendo a imensidão de um céu. Eu quero todos os prazeres do mundo em todos os dias que terminam com “a”, incluindo sábado e domingo. Eu quero te trazer um contentamento improvisado e deixar nossa sintonia nos habitar."

"You’re the boy with the filthy laugh", Ariel S. (via capitule)

(Source: doce-inverno, via adolezejos)

"Ela era do tipo que adorava cheirar flores. Ele era do tipo “não sou flor que se cheire”."

A Escritora de Bar.  (via capitule)

(Source: nevarias, via adolezejos)

"Eu gosto de você, mas você erra. Erra ao pensar que vou esperar pra sempre, ao pensar que tenho todo tempo do mundo, erra ao pensar que eu não sofro com sua ausência."

Caio Augusto Leite  (via ahpatch)

(via adolezejos)

"Mas se não acontecer, se não for pra ser, de qualquer forma, obrigado por ser uma das minhas lembranças mais bonitas."

Capitule.   (via icanbeyourcocaine)

(Source: capitule, via adolezejos)

"Odeio atenuantes, desculpas, restrições. Odeio quem marca e desmarca. Odeio quem maltrata a esperança do outro, quem não cuida da expectativa que mesmo criou. Odeio quem afirma que não tem saída, que surgiu algo importante, que está de mãos amarradas. Sempre há o que fazer. Sempre podemos escolher. Odeio quem diz que vai e depois retira a palavra. Quem sempre inventa um senão de última hora. Quem não banca seu desejo. Quem finge intensidade para soar romântico. Adiar não é esperança. Um sim pela metade é não. Respeito aquele que sofre de medo, jamais respeito aquele que aceita ser menor do que o medo. Respeito aquele que sofre de dúvida, jamais respeito aquele que coleciona incertezas. Na paixão, ou é ou não é. Não se negocia com a loucura."

Fabrício Carpinejar.  (via oescritor)

(Source: bruunamoreno, via adolezejos)

"Uma mente agitada faz um travesseiro inquieto."

Charlotte Brontë. (via romantizar)

(Source: linguagem, via romantizar)

"

Almost. It’s a big word for me. I feel it everywhere. Almost home. Almost happy. Almost changed. Almost, but not quite. Not yet. Soon, maybe.

"

— Joan Bauer (via shittyteenblog)

(Source: sadkami, via halesyeah)

"An entire sea of water can’t sink a ship unless it gets inside the ship. Similarly, the negativity of the world can’t put you down unless you allow it to get inside you."

— Goi Nasu (via intensional)

(Source: the-healing-nest, via thisboythatgirl)